Nuvem

Prefiro não caber em definições.
Prefiro ser uma metamorfose ambulante; ser o que o momento de exploração me permite ser; ser o que faço, no momento em que faço; não ser eterno e invariável; não ter medo de transpassar a linha.
Prefiro ser terno; ser amigo; ser eu mesmo, e, mesmo assim, não caber em definições.
Definir é limitar.
Quero ser uma aquarela; a tinta na água. Quero ser a água a diluir a tinta. Quero unir-me. Quero evaporar. Quero chover.
Quero ser feliz, e, fatidicamente, ser triste também.
E não quero caber em definições.
Eu quero ser tudo; ser nada; ser um sentimento de independência; ser dependente de amor; ser livre e prisioneiro ao mesmo tempo.
Eu quero transitar. Transitar e não caber em definições.

 

1 comentários:

Nathy Alcantara disse...

Minha parte predileta no texto: "E não quero caber em definições.
Eu quero ser tudo; ser nada; ser um sentimento de independência; ser dependente de amor; ser livre e prisioneiro ao mesmo tempo."

Saudades do seu blog, desculpa o sumiço... Dá uma passadinha no meu tbm depois... Beijo!
http://asalvarmomentos.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
 
 
Copyright © Então, João!
Blogger Theme by BloggerThemes